Rosangela Demetrio


A VIDA HUMANA E AS BACTÉRIAS
06/01/2016, 09:12
Filed under: Sem categoria

Encontro em São Paulo promete discutir o quanto existe de interdependência entre a vida humana e as bactérias

O tema é instigante. Logo pensamos: como assim? Interdependência? Será que dependemos das bactérias para viver? Nossa rotina atribulada, principalmente nos grandes centros, dificilmente nos permite reflexóes sobre a vida, sobre nossa existência, sobre o que precisamos e do que dependemos. Atualmente, talvez pelo escassez surreal de água  no estado de São Paulo, as pessoas começam a valorizar um pouco mais questões básicas, como a necessidade de chover, entre outras ações da natureza.

O que poucos sabemos é que para termos uma vida saudável, inclusive psíquica, nosso corpo convive com mais de 1 quatrilhão de bactérias. Pelo mundo todo, cientistas e pesquisadores atuam em trabalho árduo com laboratórios, tentando descobertas e conclusões, que tratem desses fenômenos naturais em nosso planeta, que interligam biomas, provocando uma rede inteira de interdependências. Mas, apesar de tantos estudos, o tema suscita uma infinidade de questionamentos. Essas complexas relações entre as formas de vida e os diversos ambientes começam a despertar o interesse também de pessoas comuns.

Acreditando nisso, o 117º Fórum do Comitê da Cultura de Paz, uma parceria UNESCO – Palas Athena, abordará o assunto, promovendo uma discussão saudável e desafiadora. Será no dia 4 de novembro, às 19h, no Auditório do MASP, com a presença do Dr. Georg Tuppy, que é médico, cardiologista clínico em Araçatuba-SP, interessado em Neurobiologia, com enfoque nos mecanismos do estresse infantil e adulto. Estuda os efeitos dos processos meditativos no humano e é um curioso da biologia geral.

Segundo os organizadores do encontro, ao longo do Fórum, o Dr. Georg Tuppy abrirá um panorama sucinto da biologia vegetal e dos mamíferos, passando pelos seus sistemas de comunicação, incluindo os celulares, e o papel assombroso das bactérias na vida humana, que participa de uma codependência que se mostra cada vez maior e profunda. A entrada é franca. Mais informações, pelo site www.palasathena.org.br.

Rosângela Demetrio é jornalista e ativista pela Cultura da Paz. (rodemetrio@gmail.com)



Oftalmologia em Evolução
06/05/2014, 11:03
Filed under: Sem categoria

Oftalmologistas do mundo todo têm encontro marcado no SIMASP

 

O Departamento de Oftalmologia e Ciências Visuais da UNIFESP organiza e oferece aos médicos e profissionais envolvidos de alguma forma com esse segmento da medicina, a 37ª edição do Simpósio Internacional Moacyr Álvaro, SIMASP,  que tradicionalmente abre o calendário científico da Oftalmologia nacional.

O evento é organizado de forma especial e criteriosa, pela comissão organizadora e docentes da UNIFESP, com o objetivo de apresentar o que há de mais moderno, tanto em técnicas, como em procedimentos e recursos de última geração, que a evolução da ciência disponibiliza, no sentido de alcançar resultados cada vez mais satisfatórios.

Para os oftalmologistas, o SIMASP é imperdível, o ponto de encontro de toda uma categoria profissional, que em muito colabora para o desenvolvimento em ciência e pesquisa dentro da medicina. O tema em 2014 será “Oftalmologia em Evolução”, com ênfase na grande evolução técnica alcançada na especialidade, tanto no diagnóstico quanto no tratamento das principais doenças oculares, como glaucoma, estrabismo, retinopatia diabética, uveítes, catarata, ceratocone, linfomas, tumores, entre outras.

Um diferencial do evento deste ano será o “Espaço Precisão 2.0”, um espaço multimídia que disponibiliza muita tecnologia e interatividade, e promete atrair os mais “antenados”.

São oferecidos também cursos pré-congresso, com aulas práticas e teóricas, realizadas na própria UNIFESP. Além disso, os melhores trabalhos científicos enviados serão avaliados pela comissão do programa de pós-graduação do Departamento e serão premiados.

Profissionais do mundo todo estarão presentes, propiciando um networking e compartilhando knowhow no decorrer do Simpósio. As palestras e discussões terão abordagens que vão do básico ao mais avançado, sendo todas pertinentes à prática diária do Oftalmologista, e contarão com a participação dos maiores catedráticos em Oftalmologia e especialistas do País, e com o renomado corpo docente da UNIFESP, além de palestrantes internacionais, como: Prof. Alfredo Sadun, Prof. Emmett Cunninghamn, Prof. Robert Ritch, Prof. Terry Kim, Dr. Stuart P. Richer, Phillip Hoopes Jr. e Paul S. Bernstein, que vêm dos Estados Unidos; Prof. Francesco Bandello, da Itália; Prof. Miguel Burnier Jr. e Dr. David Yan, do Canadá; Prof. Serge Morax e Isabelle Badelon, da França; Eduardo Silva, de Portugal; Robert Ang, das Filipinas e Virgilio Morales-Cantón, do México.

Inscrições e todas as informações podem ser obtidas pelo site do SIMASP: www.oftalmo.epm.br/simasp2014/

SIMASP 2014 – Maksoud Plaza Hotel – São Paulo – de 13 a 15/fev/2014.

Rosângela Demetrio, jornalista, defensora de causas pela Cultura de Paz ( rodemetrio@gmail.com )



Um país em conflito

Para os jovens que vêem os atuais conflitos no Egito, é difícil imaginar que um dos ex-presidentes do país ganhou o Prêmio Nobel da Paz em sua gestão

Foi em 1978 que Anwar Al Sadat, então presidente do Egito, ganhou o Prêmio Nobel da Paz, juntamente com o primeiro-ministro israelense Menachem Begin. O Prêmio foi o resultado e o reconhecimento pelo Acordo de Camp David, pelo qual os dois governantes assinavam diversas resoluções para alcançar a paz entre árabes e judeus.

Aquela década foi marcada por diversas tentativas de paz. O então presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter esforçou-se bastante para mediar esse tipo de acordo. A paz interessaria para ambas as partes e também para a América, que poderia continuar exportando seus produtos industrializados para o Oriente Médio. Mas, as vantagens que comumente os americanos ofereciam aos israelenses em seus acordos bilaterais irritavam os árabes, que não aceitavam tais privilégios.

O Acordo de Camp David não foi aceito por unanimidade no Mundo Árabe, especialmente pelos fundamentalistas muçulmanos, que acreditavam que apenas a ameaça ou o uso da força faria Israel negociar a Cisjordânia e a Faixa de Gaza. O acordo previa a entrega da Faixa de Gaza para o Estado Judeu. Em contrapartida, Israel retirou-se da Península do Sinai, retornando a área inteira para o Egito em 1983. Mas, antes disso, em 1981, Sadat foi assassinado durante uma parada militar no Cairo, tudo indica que por membros da Jihad Islâmica Egípcia infiltrados no exército. O motivo do atentado não é difícil de imaginar: acordos de paz não interessam a quem lucra com a guerra. Alguns suspeitaram de envolvimento da CIA, mas tudo era especulação na época. Aquele atentado comoveu o mundo todo. Lembro-me de que foi a primeira cena chocante que assisti na TV. Mas, que em nada se compara ao que vemos hoje no Egito.

Sadat foi sucedido pelo seu vice-presidente Hosni Mubarak, que foi levado a renunciar só recentemente, em Janeiro de 2011, 30 anos depois de assumir.

Atualmente, o quadro que se vê no Egito é preocupante. As autoridades do país afirmaram que vão julgar pelo menos 40 pessoas, incluindo cidadãos americanos e outros estrangeiros, que trabalham em ONGs que promovem democracia, direitos humanos e paz, acusadas de financiamento ilegal. A questão gera tensão entre os governos egípcio e americano. As autoridades egípcias estão sendo apontadas como incapazes de evitar confrontos, devido ao precedente ocorrido em um jogo de futebol, no fim de janeiro, que deixou 74 mortos.

Não há muito que fazer, a não ser aguardar os próximos acontecimentos e torcer pela sensatez. Com os ânimos acirrados, qualquer faísca pode incendiar a região. Melhor não provocar…

Artigo publicado no Jornal Empresas & Negócios em 8/fev/2012.



Revolução de gêneros é tendência no mercado de trabalho

Pesquisa realizada nos Estados Unidos revela que cresce o número de mulheres jovens, que consideram prioridade, atingir o topo dos organogramas das empresas e conquistar os maiores salários

O mercado de trabalho vem apontando uma revolução no tradicional papel feminino nas empresas. Mulheres mais jovens se firmam em posições de chefia, ultrapassando homens na mesma faixa etária e ocupando os cargos mais altos. O que se via até há alguns anos eram mulheres nos papéis de ótimas secretárias executivas, podendo conquistar posição de assessoras de diretoria, gerentes, entre outras categorias de média importância. Atualmente, é comum encontrar mulheres como CEOs de empresas brasileiras ou multinacionais, reitoras de universidades, comandantes, ministras e até presidentes ou vice-presidentes de grandes holdings.

A empresa americana de pesquisa Pew Research Center publicou índices que confirmam que 66% das mulheres jovens com idade entre 18 e 34 anos colocam a carreira profissional no topo de suas prioridades, enquanto que o mesmo acontece com 59% de homens na mesma faixa etária. Em 1997, o panorama era de 56% de mulheres jovens com tal prioridade e 58% de homens.

Nos últimos 15 anos, vem crescendo também a proporção de mulheres de meia-idade que também consideram de grande importância em suas vidas, a conquista de altos cargos e salários. A proporção nesta faixa etária entre homens e mulheres é de 42% (mulheres) para 43% (homens), enquanto que, em 1997 era de 26% (mulheres) para 41% (homens).

Essas conquistas não são e nunca foram fáceis para a maioria das mulheres que alcançam posições de destaque. Nem todas são filhas de ricos industriais ou herdam grandes empresas para administrar. Nem todas fazem bons casamentos, ou têm amigos que confiam-lhes cargos importantes. Muitas vezes, a vida não é justa e nem aquelas mulheres que mais estudam e se esforçam conseguem chegar lá. Então… como atingir o topo? A trilogia: Mulher, Trabalho e Educação talvez possa apontar revelações a serem consideradas.

Mas, por quê Mulher, Trabalho e Educação? A explicação não é simples, pois envolve percepção e sensibilidade. Mulher é um ser amplo, significa ter intuição para perceber qual o melhor caminho e qual a melhor postura nas tomadas de decisão. Sua visão holística lhe permite ter a amplitude necessária para coordenar,aliada a força interior, respeito às origens, bom senso, justiça, emoção e tantas características femininas. Trabalho é o ponto central, pois não existe sucesso sem trabalho, perseverânça, luta cotidiana, força de vontade e determinação. Educação abre portas. Ela é a base de tudo, é o início, a formação da personalidade que determinará se a pessoa será alguém de sucesso, ou não. Inclui-se aí humildade, tolerância, respeito ao diferente, resiliência e paciência para agir no momento certo. Talvez a resposta esteja na união de todos esses fatores.

Têm sido significantes as mudanças envolvendo a força de trabalho de homens e mulheres, ao longo das últimas décadas. Mais importante que estimular uma guerra dos sexos, acredito que seja incentivar a mudança de interesses a favor do ser humano de forma ampla. Uma mudança que prime pelo respeito e pela tolerância. Sabemos que o conflito de interesses sempre existirá, mas devemos procurar viver mais e melhor, mantendo um ambiente pacífico e harmonioso. Com isso, todos ganham.

Artigo publicado no Jornal Empresas e Negócios, em 23 de julho de 2013.



Feira APAS 2013 apresenta inovações e tendências

Maior feira do setor supermercadista, a APAS apresenta modernos equipamentos e sistemas de gestão, novidades em conservação, armazenagem, manipulação e apresentação de alimentos, como aves, peixes, carnes, queijos, vinhos e muitos outros produtos

Os varejistas e chefs brasileiros poderão apreciar, num só lugar, todas as novidades nacionais e importadas em alimentos e bebidas, que incluem desde peixes vindos do Alasca, até as mais variadas cachaças artesanais brasileiras: trata-se da Feira APAS 2013 – 29º Congresso e Feira de Negócios em Supermercados. O evento ocorre de 6 a 9 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo, reunindo mais de 550 expositores, com expectativa de 70 mil visitantes, entre especialistas em alimentos, chefs, empresários do setor e executivos do varejo de todo o País e do exterior durante os quatro dias de evento. Serão ao todo 68 mil m² de área de exposição. A APAS estima gerar negócios da ordem de R$ 5 bilhões.

A APAS – Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade conta com 1.200 associados, que somam 2.700 lojas.

Outro ponto forte da feira é a apresentação de novas formas de exposição de produtos no ponto de venda. Expositores trazem de todas as partes do mundo, inovações que prometem atrair cada vez mais o consumidor, incentivando e facilitando a compra. São gôndolas com precificadores digitais, carrinhos com displays e calculadoras, catálogos modernos, painéis luminosos, novidades em comunicação visual para o supermercado, entre outros.

Em todas as edições do evento, a degustação é feita livremente na maioria dos estandes e fica difícil resistir a tantas tentações. Na sala de imprensa, os jornalistas podem ficar tranquilos, pois a agenda de delícias contempla desde o lançamento do primeiro refrigerante orgânico do Brasil, nos sabores guaraná e laranja, até o famoso salmão Smoked Roasted e mexilhões defumados. Não dá para ficar de fora (de 6 a 8 de maio, das 14h às 22h; dia 9 de maio, das 14h às 20h – http://www.feiraapas.com.br).

Artigo publicado no jornal Empresas & Negócios em 3 de maio de 2013.



As mulheres compram mais pela internet que os homens

Há uma vertente entre os economistas que acredita serem as mulheres alvos perfeitos para compras pela internet. Mas, como conquistá-las? Estatísticas comprovam essa afirmação e apontam para um crescimento desse segmento de mercado.

Mulheres compram mais, porém homens gastam mais. Enquanto as mulheres compram produtos de moda e beleza, homens preferem as linhas de eletrônicos e informática. Mas o que faz realmente as mulheres comprarem tanto pela internet? O que fazer para atrair o público feminino?

Se você está se preparando para investir em comércio eletrônico, pense em montar estratégias inteligentes. Como a maioria das compras é de produtos que envolvem beleza, podemos deduzir que o sonho de estar bela é o que mais influencia as mulheres. Portanto, venda sonhos. As apaixonadas, por exemplo, compram moda, beleza, viagem, fitness, entre outros produtos.

Procure saber o que está na moda, pesquisando nas revistas populares, sites de moda feminina, redes sociais e conheça o que é tendência. O importante é cativar a sua consumidora, mostrando novidades. O visual da propaganda deve ser atraente. Destaque o produto, de preferência, de forma ambientada, simulando seu uso real. Procure mostrar também as vantagens daquilo que você quer vender. Mas, não invente nada, pois não há nada que deixe uma mulher mais decepcionada do que perceber que foi enrolada.

Mostre detalhes dos produtos, abuse dos arabescos e das cores da moda, amplie a imagem para mostrar até mesmo aquilo que tem alto ou baixo relevo, revele tudo de perto. Se tiver uma grife importante no seu mix, explore ao máximo. As pessoas valorizam marcas, isso é geral, serve para homens e mulheres. Mas, invista da forma certa, com parcerias sólidas. Com um bom fornecedor, você mantém sua linha de produtos por muito tempo e fideliza o consumidor. Fuja daquele distribuidor que não têm um histórico confiável, pois ele poderá prejudicar o seu negócio. Se você conseguir uma exclusividade, será perfeito. Vale a pena investir nisso!

Uma ideia interessante e moderna é criar a venda de “combos”. Um produto que custava R$ 200,00 até ontem, hoje custa apenas R$ 150,00 e você ainda leva algo de brinde para enfeitar a sua casa ou cuidar da sua beleza. Esta é uma das melhores estratégias para atingir o público feminino. Afinal, quem não gosta de pagar menos e ainda ganhar um presente?

Proponha vendas casadas, com garantia de entrega dentro do prazo e facilidade de pagamento. Se o seu produto é algo que facilite o cotidiano das mulheres, você está feito. Mostre essas vantagens e faça com que ela se apaixone pela praticidade do produto. Se ela puder despender menos tempo em suas tarefas domésticas e aproveitar melhor a vida em passeios e diversão, pronto, é a estratégia perfeita e você vai ganhar a cliente. Se puder pagar em diversas vezes no cartão, ela compra. E não se esqueça, se você está oferecendo praticidade e beleza à sua consumidora, então faça isso também com o seu site.

Torne o ato de comprar, um momento de prazer. Ofereça a ela a oportunidade de fechar a aquisição a qualquer momento, evitando que se canse de tanto navegar de página em página. Aposte no segmento “mulheres”. Elas valem muito e são cada vez mais as donas do dinheiro.

Artigo publicado no Jornal Empresas & Negócios, em 29/fevereiro/2012.



Conheça a NFC

A tecnologia NFC se consolida como uma ferramenta que promete em curto espaço de tempo mudar conceitos de transmissão de dados e facilitar as compras

A tecnologia NFC (Near Field Communication) vem para mudar o comportamento da sociedade urbana e traz com ela suas vantagens e desvantagens, como tudo que aparece em termos de tecnologia de ponta. Atualmente, é quase impossível sair de casa sem o cartão de crédito. Mas, será que esse hábito vai continuar existindo por muito tempo?

Talvez a NFC tenha vindo para desmitificar o cartão de plástico, pois se trata de uma tecnologia que nos permite interagir com os objetos à nossa volta pela transmissão de dados a certa distância, mesmo sem o contato direto com eles. Apenas com a proximidade de dois aparelhos, você é capaz de realizar a troca de informações de maneira bastante segura. Pode ser um chip transmissor que você carregue consigo e um aparelho receptor, instalado numa loja ou na no Metrô.

Com isto, é possível captar informações de qualquer objeto em que a tecnologia NFC seja aplicada. Por exemplo, ao passar pela catraca do cinema ou teatro, seus dados serão lidos pelo receptor, a partir de um documento que você porte ou a partir do celular, registrando sua presença naquele local. Que fantástico! Ficará mais complicado para aqueles que costumam burlar o ingresso em eventos e jogos em estádio, ou em outras circunstâncias mais comprometedoras. Se essa tecnologia estiver presente em documentos, facilitará o impedimento de acesso de adolescentes a locais como bares e clubes noturnos. 

Esse fenômeno também poderá acontecer muito em breve com os automóveis. Eles poderão receber chip de identificação que, ao passar por um determinado leitor, transmitirá informações sobre esse veículo para um banco de dados oficial, onde ficarão registradas e poderão ser utilizadas posteriormente, para fins cíveis ou criminais.

A distância, no caso da NFC, não poderá ser maior do que 10 centímetros, pois seu campo de atuação é limitado, sendo necessário aproximar o leitor do objeto. Os dados são obtidos da fonte passiva pela fonte ativa, com segurança, pois não podem ser acessados por outros dispositivos.

Uma boa opção de ferramenta para instalação desta tecnologia seriam os aparelhos celulares, que estão sempre nas mãos dos usuários. No Japão, já é possível conferir a tecnologia sendo utilizada no cotidiano das pessoas: em Tóquio, o sistema de transporte metroviário permite que passagens sejam compradas com a aproximação do aparelho de telefone às catracas.

Existe uma crença de que a NFC poderá em breve substituir o código de barras, os cartões bancários e até as chaves de acesso à residência. Segundo informa o site Tecmundo, “isso talvez possa acelerar a inclusão da tecnologia para o uso diário, transformando em poucos meses, a forma como consumimos informações e produtos. O sucesso do NFC é bastante esperado, já que o custo de produção dos dispositivos que enviam dados é relativamente baixo”.

Artigo publicado no Jornal Empresas & Negócios em 01/fev/2012.