Rosangela Demetrio


Será que Marx estava mesmo com a razão?
24/01/2012, 13:29
Filed under: Sem categoria | Tags: , , ,

A agência de notícias BBC, levada pelos constantes choques dos últimos tempos no sistema financeiro internacional, publica a seguinte questão: O capitalismo ocidental fracassou?

A matéria inicia fazendo menção à queda do comunismo no Leste Europeu, há vinte anos, pondo em dúvida se aquilo teria sido uma ilusão. Marx, o grande filósofo, economista e revolucionário alemão do século 19, acreditava que o capitalismo era radicalmente instável…

Eu, particularmente, não acho que o capitalismo tenha de todo falhado. Porém, houve sim falhas na aplicação e na regulamentação dos pacotes econômicos e talvez no gerenciamento de questões básicas como a estabilidade financeira interna de alguns países hoje em evidência.

Cada um de nós, pessoas físicas, por exemplo, sabemos de nossos riscos ao fazermos uma aplicação em ações de empresas de grande ou de médio portes, por exemplo. O risco é constante e pretensamente calculado. Os governos também fazem isso, tomadas as devidas proporções. Acompanham o mercado financeiro passo a passo para garantir o controle do risco assumido. De vez em quando, as consequências extrapolam e saem do controle, trazendo uma avalanche de prejuízos, como falências, desemprego, endividamento, perda do crédito internacional, etc. A responsabilidade dos governos é infinitamente maior do que a de qualquer pessoa que aplica seu próprio capital. Trata-se de dinheiro público, que pode significar muitas vezes a ruína de instituições financeiras e até desses governos, enquanto instituições detentoras de grandes valores.

Segundo o secretário-geral da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), Ángel Gurría, “Nosso fracasso financeiro se espalhou imediatamente para a economia real. Saímos de uma crise financeira para a paralisia econômica e um choque de desemprego, com médias de 9, 10%. Entre os jovens (países) em particular, as taxas sobem para 20, 30, 40%. Esta é a face humana e a realidade trágica desta crise. Algumas organizações internacionais viram a crise chegando. Algumas até emitiram avisos, mas não foram coordenadas, elas não falaram com uma única e forte voz. Assim, eles foram ignorados na atmosfera de grande prosperidade, onde todos faziam muito dinheiro, acreditavam que inovação era o nome do jogo e, por alertar que algo podia estar indo errado, você parecia estar travando o avanço do progresso.”

É, sem dúvida, um depoimento realista, que deve ser levado em consideração por nós próprios. Todo o cuidado é pouco com os pilares que sustentam o sistema financeiro, evitando ao máximo expor ou deixar vulnerável aquilo que é imprescindível a todas as nações: segurança nacional, índices estáveis de emprego, soberania e equilíbrio do sistema financeiro.

E antes de tudo, investimentos sólidos em sustentabilidade, investimentos pesados na educação e na saúde, ações que privilegiem os menos favorecidos, incentivos fiscais para desafogar os grandes centros urbanos, enfim… Um governo do povo para o povo tem tudo para dar certo.

Este artigo foi publicado no jornal Empresas & Negócios, em 05/outubro/2011.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: