Rosangela Demetrio


Venezuela atrai investidores brasileiros da construção civil

Incentivado pelo governo brasileiro, o setor de construção civil procura maior participação em negócios na Venezuela

Com o lançamento do programa habitacional venezuelano – “Gran Misión Vivenda” – pelo presidente Hugo Chávez, uma missão empresarial do setor de construção do Brasil organiza-se para visitar a Venezuela e propor acordos bilaterais para ampliar a presença das construtoras brasileiras naquele país. O grupo estará em Caracas de 28 a 29 de junho, quando poderá reunir-se com representantes do governo venezuelano responsáveis pelas compras diretas do programa.

O “Gran Misión Vivenda” é semelhante ao brasileiro “Minha Casa, Minha Vida”, e visa à construção de 350 mil casas até o fim de 2012 para alocar as vítimas da inundação que ocorreu no país em dezembro de 2010 e demais cidadãos. Em seis anos, a previsão é de que mais de dois milhões de moradias sejam construídas e entregues à população.

Além de materiais e insumos para a construção, novas parcerias estratégicas para o setor industrial são também o objetivo do governo venezuelano, além da viabilização de investimentos e do desenvolvimento de alianças para assistência, assessoria e capacitação técnica.

Vale ressaltar que Brasil e Venezuela vêm querendo, desde o início de 2011, intensificar parcerias também em setores como mineração e petróleo. A história nos conta que a economia da Venezuela teve seu divisor de águas com o fim da Primeira Guerra Mundial, quando passou de uma economia essencialmente agrícola para uma economia, baseada na extração e exportação de petróleo, que predomina até hoje, responsável por cerca de um terço do PIB. O aumento do preço internacional do petróleo no início do século beneficiou a economia do país, tornando o petróleo responsável por 80% das receitas de exportação. Em 2003, Hugo Chávez implantou um programa para direcionar os lucros obtidos com o petróleo pela companhia estatal, para financiar programas sociais, e com isso conquistou boa parte da opinião pública.

O que poucos sabem é que, hoje, o Brasil é o terceiro maior fornecedor da Venezuela, com aproximadamente 10% de participação nas importações do país. Segundo o portal BrasilGlobalNet – ferramenta de suporte do Ministério das Relações Exteriores –, em 2010, o intercâmbio comercial entre as duas nações movimentou US$ 4,6 bilhões, em sua maioria gerados por negócios envolvendo combustíveis, animais vivos, carnes, óleos, produtos de confeitaria e miudezas comestíveis.

Cabe a nós torcer para que as empresas brasileiras envolvidas nessa Missão à Venezuela obtenham sucesso e consigam bons negócios, pois isso traria importantes divisas para o Brasil, além de ampliar a abrangência e o reconhecimento da excelência de nossos produtos e serviços.

Artigo publicado no Jornal Empresas & Negócios, em 23 de junho de 2011.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: