Rosangela Demetrio


Quem sabe desta vez…

Na semana passada, israelenses e palestinos puderam voltar a ter esperanças de retomar a paz no Oriente Médio. Depois de meses sem nenhum tipo de acordo, os dois lados propuseram-se a conversar diretamente, a fim de tratar das negociações que tragam benefícios para ambos e para o mundo 

Depois de meses sem um encontro, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o Presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, reuniram-se no início deste mês, na cidade de Washington, com o objetivo de iniciar as tratativas para um acordo de paz. No dia 14, os líderes realizaram a segunda rodada de negociações, no Egito, e no dia 15, em Jerusalém.

Robert H. Serry, coordenador especial da ONU para o Processo de Paz no Médio Oriente, afirmou que o momento é de renovar as esperanças pela paz na região. Ele disse que a conquista da paz não será fácil e implica riscos, mas os perigos por não se tratar desse assunto são muito mais graves. Ambos os líderes já deram o passo mais importante que foi começar uma negociação. Agora é ter coragem para mantê-la com sabedoria e diplomacia, e avançar.

Um ponto de vista em comum é os dois concordarem que a busca por uma solução deve estar baseada em dois Estados, para dois povos. Segundo Serry, as negociações poderão ser concluídas em até dois anos, e as propostas visam resolver os problemas nas fronteiras, de segurança, dos refugiados e de Jerusalém. Os encontros deverão ser quinzenais e permanentes, incorporando os compromissos fundamentais necessários para alcançar um tratado abrangente para acabar com o conflito, estabelecer uma paz duradoura entre Israel e os palestinos, criar um Estado palestino ao lado de Israel, com segurança.

A principal tarefa da ONU é apoiar as negociações e maximizar as perspectivas de sucesso. É importante também que os líderes abstenham-se de ações provocadoras e trabalhem como parceiros para criar um ambiente propício para o êxito das negociações. Ontem, terça-feira, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, mediou em Nova York, uma reunião do Quarteto, que é o grupo diplomático para assuntos do Oriente Médio, formado por representantes da ONU, Estados Unidos, União Européia e Rússia, para analisar os progressos das negociações na busca pela paz naquela região.

Enquanto isso, a situação na Faixa de Gaza continua violenta. Nas últimas semanas, militantes palestinos dispararam 10 foguetes e 22 morteiros de Gaza contra Israel, ferindo dois israelenses perto de áreas residenciais no sul de Israel. As forças israelenses, por sua vez, realizaram 10 ataques aéreos e 18 incursões em Gaza, matando sete palestinos e ferindo outros quatro.

Este artigo foi publicado no Jornal Empresas&Negócios em 22 de setembro de 2010. Qualquer reprodução deverá citar fonte e autoria.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: