Rosangela Demetrio


Estratégia Multicanal favorece o Varejo

Ferramentas modernas que envolvem tecnologia e interatividade representam vantagens competitivas no mercado de varejo

Não é fácil disputar fatias do mercado com os gigantes. Entretanto, existem inovações tecnológicas que estão ao alcance da maioria dos varejistas. São estratégias multicanal que vieram para revolucionar o sistema básico de compra e venda. Quem há cinco anos poderia imaginar que um GPS, que até então era uma ferramenta de alto custo e de difícil acesso, utilizado para guiar aviões, barcos e desbravadores pelo mundo, seria nos dias de hoje utilizado como ambiente de negócios e fonte publicitária? É verdade. A cada dia, ganha mais força a ideia de inserir bandeirinhas e marcações nas telinhas do GPS, indicando nos mapas onde estão determinadas lojas, hotéis, postos de gasolina, entre outros, espalhados pelo destino proposto. Não falta criatividade para esse tipo de publicidade. Você olha no mapa e vê que perto de você está um fastfood ou uma pizzaria e aproveita para fazer um pitstop. São oportunidades de momento, que favorecem o consumo – estratégia multicanal.

Não vamos muito longe. O nosso telefone celular, presente na maioria dos bolsos brasileiros, vem a algum tempo sendo utilizado como ferramenta de marketing, na medida em que empresas especializadas em divulgação via SMS enviam mensagens com ofertas rápidas e até sorteios para um determinado segmento de mercado. Que ótima ideia! O cliente recebe um torpedo de sua empresa, por meio de um sistema de envio de baixo custo, dizendo que no próximo fim de semana haverá uma queima de estoque e que ele está convidado para participar.

Mais comuns como estratégias para ampliação do volume de vendas são as Lojas Virtuais. Não são poucas as empresas que faturam muito mais por meio das vendas feitas pela internet do que pelas efetuadas na própria loja física. As despesas fixas são muito mais baixas quando não se precisa pagar aluguel do imóvel nem pelo ponto comercial, taxas de fiscalização, localização, IPTU e tantos outros itens negativos no balanço.

Há 20 anos, fazer compras pelo computador era possível somente em filmes de ficção científica. Hoje, virou coisa do dia-a-dia. Você satisfaz o prazer de comprar sem sair de casa, paga pelo sistema eletrônico e recebe no endereço que escolher. O comércio eletrônico vem alcançando índices altíssimos de crescimento. Vale ressaltar que, de acordo com dados divulgados pela consultoria e-bit, o e-commerce apresentou crescimento de 28%, em 2009, em comparação com o ano de 2008, somente no período relativo às festas de Natal, movimentando nesse período 1,6 bilhão de reais com as vendas natalinas. Os produtos mais procurados foram livros, eletrodomésticos, artigos para saúde, beleza e medicamentos. Depois aparecem os itens relativos à informática e os eletrônicos.

Artigo escrito por Rosangela Demetrio, publicado no jornal Empresas&Negócios,caderno Economia, página 5, em 17/março/2010. Qualquer reprodução deverá citar fonte e autora.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: