Rosangela Demetrio


Folia que aquece o comércio

O Carnaval se aproxima e vem aquecendo diversos setores do varejo

Vivendo e aprendendo… Na semana passada, enquanto pesquisava sobre festas sazonais, descobri que o Carnaval teve suas origens na Grécia. Por volta dos anos 600 a 520 a.C., os gregos realizavam cultos para agradecer aos deuses pela produção e solo fértil. Anos mais tarde, bebidas e práticas sexuais foram inseridas nas comemorações, provocando a reprovação da Igreja Católica, que passou a condenar as festividades por mais de um século. Apenas no ano de 590 d.C., a Igreja passou a aceitar o Carnaval, porém, com ressalvas e exigindo que o dia seguinte (Quarta-Feira de Cinzas) fosse dedicado à expiação dos pecados e ao arrependimento.

A data em que se comemora o Carnaval é definida com base na Páscoa. A Quarta-Feira de Cinzas sempre cai 46 dias antes do domingo de Páscoa, que é a soma dos 40 dias que antecedem o Domingo de Ramos com os 6 dias da Semana Santa. Mas, há controvérsias quanto ao local do surgimento do Carnaval. Alguns afirmam que há dez mil anos antes de Cristo, homens, mulheres e crianças já se reuniam no verão com os rostos mascarados e os corpos pintados para espantar os demônios da má colheita. Seja como for, em 1545, o Carnaval voltou a ser uma festa popular, chegando ao Brasil por volta de 1723, sob influência europeia. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. A comemoração do Carnaval era feita por meio de desfiles de pessoas fantasiadas e mascaradas.

Muitos personagens foram incorporados ao Carnaval brasileiro, como por exemplo: Rei Momo, Pierrô, Colombina e outros. O povo brasileiro logo se identificou com a festa, o que tornou o Carnaval uma das maiores comemorações do País. No século XIX, surgiram, então, os primeiros blocos carnavalescos, as marchinhas, com carros decorados, semelhante ao formato que conhecemos hoje. Mas se tornaram mais populares no começo do século XX. As pessoas decoravam seus carros, vestiam fantasias e desfilavam pelas ruas das cidades, dando origem assim aos carros alegóricos. As escolas de samba nasceram entre as décadas de 1920 e 1930. O trabalho delas é árduo o ano inteiro, tudo por uma única apresentação. Milhares de integrantes ensaiam nas quadras para que, chegado o grande dia, tudo esteja perfeito e sincronizado.

Para se destacar na folia, toneladas de pedrarias, plumas, paetês e outros ornamentos são utilizados juntamente com máscaras, brinquedos e fantasias, fomentando um segmento que cresce a cada ano. O Carnaval tem sido um dos grandes propulsores do comércio varejista de produtos para decoração de festas sazonais. O aquecimento no comércio já pode ser sentido desde o início do ano. Basta ir até a região da Rua 25 de Março, em São Paulo, para perceber isso.

Artigo escrito por Rosangela Demetrio, publicado no Jornal Empresas & Negócios em 3/fevereiro/2010.

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: